As autoridades norte-americanas terão identificado a presença de três softwares de manipulação de emissões. O grupo VW será ouvido em tribunal.

De acordo com a agência ambiental norte-americana (EPA), o motor V6 3.0 TDI turbo de injeção direta contem três softwares de manipulação de emissões não autorizados pela lei. De acordo com o semanário alemão Bild am Sonntag, os representantes da Audi reunirão com os reguladores a 10 de agosto e serão ouvidos em tribunal a 25 de agosto, altura em que este caso poderá ficar resolvido. Os responsáveis da Audi recusaram-se a comentar este assunto, confirmando apenas que estão em curso conversações com as autoridades dos EUA e que está a ser desenvolvida uma solução técnica para resolver o problema. Os porta-vozes da EPA também não quiseram comentar o caso.

O relatório das autoridades norte-americanas avança que estes dispositivos permitem desligar o sistema de medição de emissões ao fim de 22 minutos, sendo que o ciclo normal dura cerca de 20 minutos.

Este motor anima atualmente os modelos Audi Q5, Q7, A6, A7, A8, Porsche Cayenne e VW Touareg. Nos EUA são cerca de 85 mil unidades equipadas com este equipamento.

Recorde-se que o grupo VW já tinha proposto uma solução técnica para resolver o problema, mas a agência California Air Resorces Board recusou-a, considerando a solução “incompleta e deficiente em vários aspetos”.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes